Se você conhece o inimigo e a si mesmo, não tema o resultado de cem batalhas. Se se conhece, mas não ao inimigo, para cada vitória sofrerá uma derrota. Se não conhece nem o inimigo nem a si, perderá todas as lutas. 

-Sun Tzu

A Arte da Guerra é considerado um dos maiores clássicos orientais de todos os tempos, conhecido por tratar a respeito da estratégia militar de forma filosófica. Foi escrito no século IV a.c pelo estrategista conhecido com Sun Tzu. É interessante notar que sua existência é de certa forma duvidosa devido a possíveis incorreções históricas e alguns erros cronológicos.  A atribuição da autoria desta obra varia entre os historiadores: desde Sun; a um estudioso Chu Wu Zixu; um autor desconhecido; uma escola de pensamento em Qi ou Wu; Sun Pin; e outros. Independente disto, o fato é que esta obra continua sendo estudada não apenas por estrategista militares como também por empreendedores e empresas que buscam melhorar sua estratégia. Como qualquer obra prima, “A Arte da Guerra” é atemporal.

Sun Tzu diz que a arte da guerra é regida por cinco fatores constantes; A Lei Moral, O Céu, A Terra, O Comandante, Métodos e Disciplina. A lei moral diz respeito com que o povo esteja de acordo com seu governante, o seguindo sem se deixar intimidar por nada. O céu e a terra dizem respeito a condições climáticas e ao espaço em que ocorrerão as batalhas. O comandante deve encarnar as virtudes da sabedoria, sinceridade, benevolência, coragem e austeridade. Método e disciplina se referem ao respeito pelas patentes e logística. De cara podemos fazer uma referência com o funcionamento das empresas hoje em dia, pois cada um desses fatores é constante independente se é traçado uma estratégia para a organização de um exército militar ou de uma empresa. Por exemplo, hoje em dia esta cada vez mais em alta o tema de liderança, o conceito de um chefe que apenas das ordens, que não conhece de fato o papel que deveria estar atuando dentro da empresa foi ultrapassado. Assim como a ideia de um verdadeiro comandante, um líder é sábio, conhece de fato aqueles que estão sob sua liderança, não apenas dá ordens, é um tutor com alto grau de empatia.

Aos interessados, existem outros dois clássicos orientais que abordam o tema da estratégia de forma tão boa quanto. Um deles é “Bushido, o Código do Guerreiro” escrito por Daidoji Yuzan. Bushido literalmente significa “caminho do guerreiro” é um código de conduta e modo de vida para os Samurai (a classe guerreira do Japão feudal ou bushi), vagamente semelhante ao conceito de cavalheirismo que define os parâmetros para os Samurais viverem e morrerem com honra. É um livro que tenta unir o guerreiro com o poeta e o monge. O outro livro chama-se “O Livro Dos Cinco Anéis” escrito por Myamoto Musashi, um dos samurais mais importantes de todos os tempos. Neste livro ele une todo o conhecimento obtido em centenas de duelos de vida ou morte junto com a filosofia zen que molda a mente e o caráter. A trajetória de vida de Myamoto Musashi é extremamente interessante, pois este começa como um samurai em busca de fama e reconhecimento e termina como um monje apenas contemplando a vida.

Título: A Arte da Guerra
Autor: Sun Tzu
Editora: Jardim dos Livros
Ano: 1998
Número de páginas: 160

Sua empresa tem uma biblioteca Kisoul e você quer ler esse livro? Nos mande um ‘oi’ que levamos ele para você =)