Tempo de leitura: 2,5 min.         

O livro O Dilema da Inovação foi escrito há cerca de 20 anos e, mantendo seu conteúdo original, reeditado em 2012. O autor, Clayton Christensen, era professor de Harvard e faleceu em janeiro de 2020.

Mesmo nos atuais tempos das startups suas mensagens e conceitos ainda são válidos. O livro mostra porque empresas de sucesso – mesmo as muito bem gerenciadas – fracassam quando não conseguem lidar corretamente com a tecnologia. O fracasso pode vir do uso excessivo da tecnologia que pode tornar seus produtos mais caros e sofisticados do que o desejado por boa parte dos clientes, como por negligenciar novas tecnologias de ruptura que levem a produtos mais simples, de desempenho inferior, que gerem margens menores… mas que têm potencial de ´engolir´ as empresas já estabelecidas.

O livro demonstra também que inovar significa vencer resistências de todos os lados: dos clientes, dos investidores e principalmente das estruturas internas de decisão e execução.

Recomendamos! Mesmo que não haja tanto interesse nos casos apresentados (pois são antigos, as vezes mais detalhados que o desejado e com um toque acadêmico) o livro apresenta excelentes fundamentos e propicia lições valiosas para quem está imerso em desafios que envolvem INOVAÇÃO: ou seja, para todos os empresários e líderes de empresas!

Para finalizar traduzimos um texto que Christensen escreveu pouco depois de ter sido diagnosticado com câncer.

Escolha o Critério Certo

No ano passado fui diagnosticado com câncer e me deparei com a possibilidade de que minha vida terminasse mais cedo do que eu havia planejado… a experiência me trouxe reflexões importantes sobre minha vida.

Tenho uma ideia bastante clara de como minhas ideias geraram uma receita enorme para empresas que usaram minhas pesquisas; eu sei que gerei um impacto substancial. Mas, ao enfrentar essa doença, tem sido interessante ver como esse impacto não é importante para mim agora. Concluí que a métrica pela qual Deus avaliará minha vida não se baseia em dólares mas sim pelas pessoas cujas vidas eu toquei.

Creio que é assim que vai funcionar para todos nós. Não se preocupe com o nível de destaque individual que você alcançou; se preocupe com os indivíduos que você ajudou a tornarem-se pessoas melhores. Esta é minha recomendação final: pense na métrica pela qual sua vida será julgada e tome uma resolução para viver todos os dias, para que, no final, sua vida seja considerada um sucesso. Clayton Christensen